InicioEpisódiosDicasQual óleo usar na tábua de carne

Qual óleo usar na tábua de carne

Saber quais tipos de acabamento utilizar é muito útil. Principalmente quando questões de saúde estão envolvidas, muitas peças de madeira precisam passar por essa avaliação, tais como brinquedos, instrumentos musicais e utensílios de cozinha! Por isso, esse último é nosso foco: qual óleo usar na tábua de carne?

Já ouvimos falar em diversos métodos de acabamento para tábuas de corte e utensílios de cozinha. Porém, muitos dos materiais são antigos e já não faz mais sentido nenhum continuar usando-os. Entre eles podemos citar óleo de cozinha, banha de porco, azeites, etc.

Uma tábua de carne bem feita mostra isso já ao primeiro olhar! E ainda tem gente que insiste em relevar o acabamento que utilizará em sua peça. Não dá para acreditar, não é?

Pois bem, se a primeira impressão é a que fica, o acabamento escolhido deve ser além da beleza visual da peça. Afinal, em toda observação usamos todos nossos sentidos. Assim, devemos levar em consideração todos esses fatores na escolha do produto que aplicaremos em nossa tábua de corte. Com exceção do fator audição, que não conseguimos encaixar em nada aqui!

Visão: o acabamento deve proporcionar um conforto visual, uma aparência que atraia a atenção do usuário. Se a aparência não será muito importante na utilização do produto, pelo menos será ela a responsável em capturar o potencial comprador. No caso de tábuas de corte, nossa escolha está limitada a produtos com brilho fosco ou acetinado. Para brilho fosco, os óleos são mais indicados. Caso prefira uma aparência acetinada, adote as ceras atóxicas.

Tato: o toque é importantíssimo. Minha preferência é o toque suave e aveludado dos acabamentos acetinados. O acabamento fosco é um tanto rústico, porém dá a impressão de firmeza, de produto durável. Qual o seu preferido?

Olfato: o acabamento não deve ter nenhum cheiro, o que é bem comum em produtos de alta qualidade, como os óleos da General Iron Fittings, à venda na Loja Empoeirados. Afinal de contas, o cheiro de solventes não abrem o apetite. Muito pelo contrário, provocam até enjôo em narizes mais exigentes.

Paladar: se o acabamento não pode ter cheiro, é menos desejável ainda que tenha gosto, não é mesmo? O material escolhido para o acabamento de uma tábua de corte não pode, em hipótese alguma, transferir sabor ao alimento que será preparado. Isso é indiscutível. Ah, também é necessário frisar que não pode ser tóxico. Embora a toxicidade não possa ser detectada através do sabor, é importante confiar no rótulo do produto e, principalmente, na idoneidade do fabricante.

Audição: Segurança! Ouça sempre essa voz em sua cabeça ao escolher o produto certo para o acabamento de sua tábua de corte. Pronto, achamos o sentido que faltava!

Como dissemos no texto anterior desses encartes, a toxicidade é um item presente em todos os passos na produção de uma tábua de carne. Claro que com o acabamento isso não poderia ser diferente.

Embora os óleos de cozinha sejam sempre sugeridos como acabamento em tábuas de corte, um fator que poucos consideram é que esses produtos têm um prazo de validade e se tornam rançosos com o passar do tempo.

Além disso, óleos vegetais ou animais formam um ambiente propício à proliferação de fungos e bactérias. Por isso mesmo não são bons para esse fim.

Os melhores produtos, então, são ceras e óleos minerais. As ceras de abelhas e de carnaúba sem solventes tóxicos são ótima opção para aqueles que procuram um toque e brilho acetinado. Costumamos indicar os produtos da General Iron Fittings, que estão disponíveis em nossa loja online.

A cera Artefice Cucina é a mais indicada para a aplicação em utensílios de cozinha. Ela é atóxica e protege a madeira contra a umidade. Além disso, contém em sua composição produtos inertes e purificados, totalmente segura para o contato com alimentos.

No entanto, o número um, o preferido dos profissionais, é o óleo mineral branco ou o GIF White Oil que vendemos em nossa Loja. Mas atenção nesse quesito porque existem dois tipos de óleos minerais brancos: o de grau farmacêutico e o de grau técnico.

O óleo mineral branco de grau farmacêutico (que também é descrito como óleo mineral USP) cumpre todas as exigências do departamento americano de farmacopeia. Esse produto é utilizado em produtos farmacêuticos, cosméticos e na indústria alimentícia como parte da receita de alguns produtos comestíveis. Por isso é 100% seguro na cozinha. O óleo mineral USP é, portanto, inodoro e insípido (não tem cheiro nem sabor). Já o óleo mineral branco de grau técnico é indicado na produção de borrachas, silicones, etc. Ou seja, esse último é útil na lubrificação de máquinas e equipamentos.

Em resumo, se precisar de uma decisão rápida e certeira, escolha o óleo mineral branco USP (ou grau farmacêutico) ou a GIF White Oil ou a cera Artefice Cucina da General Iron Fittings. Priorize o que for mais acessível em sua região.

Compartilhar com:
Avalie este Artigo

Olá pessoal! Meu nome é Leandro e sou vidrado por tudo o que é relacionado ao “faça-você-mesmo”. De bancos de madeira a luminárias, de instalação de chuveiros a reparos nos móveis de casa. Sempre achei muito legal você trabalhar em algo físico, transformar um pedaço de madeira em um objeto útil, ou consertar algum aparelho que tenha quebrado. É uma grande satisfação olhar e dizer: eu sei como fazer! Quando era pequeno, meu pai me dava alguns aparelhos velhos para desmontar e descobrir como funcionavam. Mas naquela época eu desmontava com alicates e marteladas, ou seja, era impossível montar de novo, rsrsrs… Mas essa paixão continuou e como me formei em uma profissão totalmente diferente – sou publicitário – decidi que esse seria o meu hobby! Do hobby e da amizade com o Luciano, surgiu o Empoeirados. Em nosso blog vamos mostrar tudo o que sabemos fazer e que aprendemos lendo livros e pesquisando muito. O Empoeirados será o nosso site para trocarmos ideias sobre bricolagem, marcenaria e outras coisas, combinado? Então, entre e fique à vontade!

Comentários
  • Boa noite Leandro, poderia informar qual produto deve ser utilizado em madeiras quando há contaminação por fungos? E como deve ser aplicado?Daltro

    13/10/2019
  • Nas pesquisas que respondi, solicitando tutorial grátis que vocês disponibilizaram, informei que estava começando agora, mas já sou aposentado e adoro trabalhar com madeira. Estou montando um faça você mesmo aqui na minha casa por hobby mas que pode virar pequenos negócios. Tenho muito que aprender.

    13/10/2019
  • Olá Leandro! Por favor, de-me uma luz! Vou usar removedor numa mesinha de cabeceira e numa de estudo, ambas de madeira, escura, sucupira. Quero uma superfície um pouco mais clara e impermeável. Posso usar seladora nitro celulose ( para protecao) e óleo mineral (para acabamento e impermeabilização) em seguida? Ou óleo sobre seladora não pode? Obrigado!

    09/11/2020
  • Muito Obrigado Leandro, suspeitei desde o princípio, mas inf boba assim não tá tão clara em tantos lugares, nem na embalagem dos produtos. Pra um leigo faz toda diferença… ao invés de seladora, pode ser então só o óleo mineral, ao invés de seladora + óleo? Prefiro um acabamento mais natural, sem brilho e sem escurecer, e que seja minimamente impermeável, já que é mesa de estudo e mesinha de cabeceira

    09/11/2020

Deixe um comentário