InicioEpisódiosFaça Você Mesmo - DIYSuporte para grampos de marceneiro

Suporte para grampos de marceneiro

Sim, sabemos como é difícil manter a oficina organizada. É aquele dilema “porque arrumar se vou bagunçar de novo?”. Mas a organização é fundamental para encontrar as ferramentas necessárias de forma rápida e fácil. Por isso nesse tutorial vou mostrar como eu fiz o meu suporte para grampos de marceneiro usando uma cabeceira de cama que encontrei em uma caçamba!

Acredito que, para ter uma oficina organizada, não é preciso desenvolver móveis complexos. Claro, uma oficina linda enche os olhos! Mas se o foco for a produção, priorize móveis úteis aos bonitos.

Digo isso por mim que, confesso, sou um tanto detalhista. Demorei para entender que o ótimo é inimigo do bom. Está sendo um exercício duro pra mim, mas venho conseguindo alguns resultados consideráveis. Esse suporte para grampos de marceneiro é um exemplo claro.

Cabeceira de cama que era lixo vai virar suporte para grampo

A cabeceira da foto acima foi encontrada em uma caçamba. Ao parar para analizar mais de perto, vi que era de madeira mesmo: pinus. OK, não é uma madeira nobre, mas estava bem seca e bem esquadrejada. Assim, vi a solução para organizar meus grampos jogados pela oficina. Fazia já algum tempo que eu ficava pensando em fazer um suporte para grampos de marceneiro chiiiique demais da conta, e pesquisava demais na internet. De repente, com essa “nova” peça, veio uma ideia simples de apenas cortar e fixar na parede. Assim, os grampos estavam prestes a ganhar um local ao meu alcance e no prazo que eu precisava!

Passo 1: qual o tamanho mais adequado à minha necessidade?

Primeiramente reuni todos os grampos que eu tinha na oficina para ter uma ideia da quantidade e peso que a prateleira teria que suportar. Coloquei todos alinhados numa mesa para poder tirar as medidas e, com um cálculo bem aproximado, estimei o peso: 12kg!

Grampos de marceneiro da Lufkin enfileirados sobre a mesa

Depois medi o comprimento dos grampos colocados lado a lado. Além dos grampos da Lufkin, também tinha uns sargentos da Irwin, como pode ver na imagem acima. Então estimei que a largura da cabeceira, 78cm, era suficiente para o que eu precisava, 63cm. Assim ainda sobraria espaço para  os sargentos.

Desmontei a cabeceira e usei apenas o travessão, que tem 25x100x780mm. Como as bordas eram abauladas, aplainei apenas um lado para que ele ficasse bem encostado na parede. Fiz isso com o auxílio de uma plaina manual. Aplainar pinus com uma plaina dessas é como raspar gelatina, rsrsrsrs… O lado bom disso é que a gente se sente um marceneiro de mão cheia (só que não).

Plaina japonesa sendo utilizada para aplainar tábua de pinus

Passo 2: Como prender o suporte para grampos de marceneiro na parede

Para que nenhuma ferragem ficasse à mostra, peguei uns parafusos franceses que eu tinha em minha caixa de parafusos e cortei a cabeça deles para que ficasse somente um eixo para fora da parede. Com uma broca na medida do corpo do parafuso (8mm) fiz três furos na prateleira para encaixar os eixos que foram chumbados na parede com bucha de nylon.

Furando tábua de pinus para inserir o pino de fixação

 

Pino roscado inserido na tábua de pinus

O parafuso francês está inserido no furo de 8mm, deixando apenas a parte da rosca aparente.

Essa forma de fixação deixa mais área livre no suporte para grampos de marceneiro. Eu pensei em usar uns pequenos suportes metálicos em “L” que eu tinha, mas isso iria ocupar espaço para guardar meus sargentos. Assim conclui que fazer um suporte oculto era a melhor opção para esse projetinho.

Passo 3: Chumbar o parafuso na parede

Já que eu não tinha um parafuso com rosca soberba, utilizei uma bucha de nylon para alvenaria. Essa bucha é do modelo utilizado para chumbar parafusos em tijolos maciços. Ela é diferente da bucha de tijolo baiano. As buchas de tijolos baianos tem uma ação de deformação para que o material plástico faça uma ancoragem mais eficiente mesmo nos buracos do tijolo. Já as buchas para tijolos maciços ou concreto servem para criar uma área macia para ancorar um parafuso de rosca soberba. Como o material que eu estava prevendo pendurar não era muito pesado, usei um parafuso com rosca comum mesmo. Em contrapartida, eu tinha uma boa área de ação da rosca o que me garantiu uma fixação forte.

Pino chumbado com bucha de nylon na parede

Após chumbar os três parafusos na parede, era a vez de colocar o suporte para grampos de marceneiro. Como fiz um furo bem justo, não precisei utilizar cola para fixar a prateleira. Caso contrário, seria possível utilizar uma cola epóxi para garantir a fixação dos parafusos na madeira da prateleira.

Suporte para grampos de marceneiro sendo colocado no lugar

Ao fazer os furos para chumbar a prateleira na parede, atenção para eles fiquem bem alinhados e nivelados. Caso contrário, será preciso forças a entrada da prateleira, o que pode ocasionar a quebra da mesma, dependendo do nível de torção exigido. Tenho certeza que o caçambeiro não iria me dar a garantia nesse caso, rsrsrsrs… Eu tenho uma tendência a furar canos de água quando vou chumbar parafusos, porém nesse dia dei sorte! Mas se isso acontecer com você, assista ao vídeo que ensinamos como consertar furos em tubos de água!

Passo final: organizar os grampos e sargentos

Repare que não fiz nenhum rasgo ou corte para encaixar os sargentos no suporte para grampos de marceneiro. Por isso que falei que estou praticando o desapego aos detalhes nas peças em que eles são dispensáveis. Todo grampo de marceneiro funciona para fazer pressão, então porque não usar a pressão deles mesmos para fixá-los na prateleira? Bingo! Nada de ligar tupia ou furadeira, ou mesmo utilizar limas e grosas. A prateleira é mais simples do que eu poderia imaginar. E muito mais funcional também.

Grampos de marceneiro já organizados no suporte

Agora posso focar nos trabalhos que importam, como por exemplo filmar os episódios dos Empoeirados, que vão ao ar toda sexta-feira.

Se você ainda não conhece nosso canal, sugiro que acesse agora mesmo e assine para ser informados de todas os novos vídeos que publicamos!

 

 

 

 

Compartilhar com:
Avalie este Artigo

Olá pessoal! Meu nome é Leandro e sou vidrado por tudo o que é relacionado ao “faça-você-mesmo”. De bancos de madeira a luminárias, de instalação de chuveiros a reparos nos móveis de casa. Sempre achei muito legal você trabalhar em algo físico, transformar um pedaço de madeira em um objeto útil, ou consertar algum aparelho que tenha quebrado. É uma grande satisfação olhar e dizer: eu sei como fazer! Quando era pequeno, meu pai me dava alguns aparelhos velhos para desmontar e descobrir como funcionavam. Mas naquela época eu desmontava com alicates e marteladas, ou seja, era impossível montar de novo, rsrsrs… Mas essa paixão continuou e como me formei em uma profissão totalmente diferente – sou publicitário – decidi que esse seria o meu hobby! Do hobby e da amizade com o Luciano, surgiu o Empoeirados. Em nosso blog vamos mostrar tudo o que sabemos fazer e que aprendemos lendo livros e pesquisando muito. O Empoeirados será o nosso site para trocarmos ideias sobre bricolagem, marcenaria e outras coisas, combinado? Então, entre e fique à vontade!

Sem Comentários

Deixe um comentário